Comunicado

uniaosecretariado

O Secretariado Regional da Uni√£o das Miseric√≥rdias do Alto Minho, na reuni√£o de 12/05/2020, analisou a Orienta√ß√£o da Dire√ß√£o Geral de Sa√ļde n¬ļ 11/2020, de 11/05/2020, visando a realiza√ß√£o de visitas aos utentes das Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI), Unidades de cuidados Continuados Integrados (RNCCI) e outras respostas dedicadas a pessoas idosas.

Considerando o empenho de todos para que as visitas aos utentes se realizem e, acima de tudo, salvaguardando o seu interesse e a sua sa√ļde, ir√£o as Miseric√≥rdias do Alto Minho tomar as medidas necess√°rias para que essas visitas se fa√ßa, de forma planeada e em seguran√ßa, prevendo-se que as mesmas se iniciem a partir do fim do presente m√™s.

Este plano de operacionalização das visitas será integrado no plano de contingências de cada Misericórdia e comunicado aos familiares até ao final dp presente mês de maio para que, de forma ponderada e consciente, se retomem as visitas aos utentes.

Numa primeira fase, as Misericórdias do Alto Minho irão organizar as visitas, com marcação prévias, em modo de avistamento pelas janelas e/ou através de portas em vidro e/ou em locais reservados para o efeito, de acordo com a situação clínica dos utentes e as infraestruturas de cada Instituição.

A pessoa que vai participar na visita dever√° manter o cumprimento de todas as medidas de distanciamento f√≠sico, etiqueta respirat√≥ria e higieniza√ß√£o das m√£os, sendo obrigat√≥rio a utiliza√ß√£o de m√°scara, preferencialmente cir√ļrgica, durante todo o tempo de perman√™ncia na Institui√ß√£o.

As Misericórdias do Alto Minho irão continuar a apostar na tecnologia e nos meios digitais para que os utentes possam comunicar com os familiares e amigos através de vídeo chamada e/ou telefone.

Misericórdias de: Viana do Castelo, Ponte de Lima, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Paredes de Coura, Vila Nova de Cerveira, Caminha, Valença, Monção e Melgaço.

 

Comunicado

uniaosecretariado

Estamos na oitava semana da pandemia do Covid-19, prestes a entrar na nona e a caminhar para o fim da vig√™ncia do terceiro Estado de Emerg√™ncia. Sem preju√≠zo do tempo decorrido os problemas com que as Institui√ß√Ķes se debatem no combate ao Covid-19 e na prote√ß√£o dos seus utentes persistem. Apesar de volvidas estas semanas, e das declara√ß√Ķes p√ļblicas efectuadas, a realidade √© que ainda n√£o foram realizados quaisquer testes de despistagem a utentes e funcion√°rios das Institui√ß√Ķes de Solidariedade Social. Os testes realizados foram-no para confirmarem suspeitas em utentes ou funcion√°rios. Igualmente, apesar de profusamente divulgada a exist√™ncias de infraestruturas para hospitais de retaguarda. Nenhum doente com Covid-19 foi acolhido em qualquer dos equipamentos divulgados.

A concretiza√ß√£o destas duas medidas revela-se da maior import√Ęncia para o combate √† dissemina√ß√£o da infec√ß√£o, nomeadamente entre a popula√ß√£o idosa com comorbilidades e institucionalizada.

Os Estabelecimentos Residenciais Para Pessoas Idosas (ERPI), vulgo lares, s√£o estabelecimento residenciais, n√£o unidades de sa√ļde, n√£o possuindo condi√ß√Ķes para tratamento a este n√≠vel, nomeadamente isolamentos, recursos m√©dicos , enfermagem e auxiliares de ac√ß√£o m√©dica 24 horas por dia. Igualmente, n√£o disp√Ķe as Institui√ß√Ķes Equipamentos de Prote√ß√£o Individual para tratarem de utentes com Covid-19, colocando em risco os seus funcion√°rios e por consequ√™ncia as suas fam√≠lias. As ERPI n√£o s√£o os locais onde devem permanecer os utentes com Covid-19, devendo ser retirados para outros espa√ßos, nomeadamente hospitais de retaguarda, como constatamos noutras regi√Ķes do pa√≠s.

Urge fazer os testes de despistagem do COVID-19 a todos os utentes e funcion√°rios das ERPI e Estabelecimentos Residenciais para Deficientes no Alto Minho. Verificamos que em v√°rias regi√Ķes do pa√≠s esta medida foi executada, nomeadamente no centro e sul do continente.

Considerando que apesar das solicita√ß√Ķes que t√™m sido realizadas ainda n√£o foram executadas a√ß√Ķes concretas, nomeadamente como as que aqui defendemos, vimos apelar √†s Institui√ß√Ķes que sobre esta mat√©ria t√™m que decidir que executem estas duas medidas, nomeadamente os testes de despistagem e o hospital de retaguarda, contribuindo assim de forma decisiva para o combate √† dissemina√ß√£o da infec√ß√£o do COVID-19.

As Misericórdias do Alto Minho, 24 de Abril de 2020.

Arcos de Valdevez, Caminha, Monção, Paredes de Coura, Viana do Castelo, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Valença e Vila Nova de Cerveira.

Informação

SantaCasaPequeno

A Santa Casa da Miseric√≥rdia de Arcos de Valdevez informa que ap√≥s a comunica√ß√£o do Hospital de Viana do Castelo que um dos utentes do Lar Vilagera√ß√Ķes para ali transferido tinha efetuado o teste  SARS-CoV-2 (COVID-19), tendo dado positivo, foi decidido realizar o teste a todos os utentes e funcion√°rios do referido Lar.

Foram realizados 61 testes, tendo dado 2 positivos, pelo que foram adotadas as medidas de isolamento previstas no Plano de Conting√™ncia. Os testes efetuados aos funcion√°rios do Lar Vilagera√ß√Ķes deram todos resultados negativos. Dos utentes hospitalizados faleceu uma idosa de 93 anos, estando os restantes a receber cuidados hospitalares. As fam√≠lias foram informadas da situa√ß√£o verificada, assim como dos resultados dos testes que foram realizados.

O Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez

Comendador Francisco Rodrigues de Ara√ļjo (Dr.)

Santa Casa da Misericórdia

de Arcos de Valdevez

Complexo Vilagerações

Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez

Rua Comendador Dr. Francisco Rodrigues de Araújo, nº 146

4970-600 Arcos de Valdevez

Tel: 258 510 110

Fax: 258 510 119

Email: geral@scmav.pt

Please publish modules in offcanvas position.